Como contamos os nossos utilizadores

This post is also available in: English 日本語 Русский Français Español Deutsch Nederlands Српски Български 简体中文

A partir do Vivaldi 2.7, a contagem de utilizadores foi alterada para gradualmente deixar de usar IDs únicos.

  • Para já é feito o pedido adicional ao nosso serviço de contagem de utilizadores. Este pedido é semlhante ao antigo e inclui o ID único, mas contem parâmetros dicionais que serão usados pela nova implementação, sem IDs únicos.
  • Daqui a algumas versões, o pedido antigo de contagem de utilizadores será removido.
  • Ainda depois disso, o ID único será completamente eliminado dos novos pedidos. Continuaremos a gerá-lo localmente para ajudar à contagem em computadores com várias instalações do Vivaldi, mas só será usado localmente.

O código usado para gerar o novo pedido é escrito inteiramente em C++ e será publicado com as nossas releases de código, permitindo-lhe verificar que o código faz aquilo que dizemos que faz.


Implementação da contagem de utilizadores

Decidimos alterar a forma como contamos os utilizadores do Vivaldi porque algumas pessoas vêm a utilização de um ID único como uma forma de rastreio e queremos evitar isso. Quando encontrámos uma forma melhor de contar os nossos utilizadores de uma forma que não requer um ID único, decidimos implementá-la.

Os vários passos da implementação são necessários para garantir que o código novo funciona como pretendido e que podemos confiar nos números reportados pelo código novo.


Porque contamos os utilizadores do Vivaldi?

Precisamos de saber quantos utilizadores temos porque ter mais utilizadores aumenta a nossa capacidade de desenvolver o Vivaldi. Isto resumese essencialmente a desenvolver parcerias para a geração de receitas e parcerias técnicas, tal como a que temos com Razer Chroma. Quanto mais precisos os números, melhores os negócios e suporte que podemos obter.

Contamos:

  • utilizadores por dia;
  • utilizadores por semana;
  • utilizadores por mês.

Também obtemos informação sobre:

  • quando um novo utilizador executa o Vivaldi pela primeira vez;
  • há quanto tempo o utilizador tem o navegador;
  • o número de dias inativos para os utilizadores que regressam
  • arquitetura do CPU;
  • resolução do ecrã;
  • identificação do navegador (user agent).

Os três últimos não estão relacionados com a contagem de utilizadores, mas essa informação ajuda-nos a perceber o tipo de máquinas para as quais estamos a desenhar o Vivaldi.


Contagem de múltiplas instalações

Dado que é possível haver múltiplas instâncias do Vivaldi no mesmo sistema, por exemplo, através de instalações autónomas, isto torna a contagem mais difícil.

Quando alguém instala o Vivaldi várias vezes no seu computador, usando perfis de utilizador distintos, queremos contá-lo como um único utilizador.

Por outro lado, quando várias pessoas usam a sua instalação autónoma do Vivaldi (através de um disco portátil, por exemplo) no mesmo computador, na mesma conta do Sistema Operativo, queremos contá-los como utilizadores distintos.

Para poder distinguir entre estes casos, mantemos uma cópia do ID único como parte do ficheiro EstadoLocal e um cópia no perfil de utilizador do SO. Se faltar uma das cópias, é criada novamente usando a outra cópia disponível. Se ambas as cópias estiverem presentes mas não forem idênticas, podemos assumir que estamos a correr uma instalação autónoma que foi movida para outro sistema (o segundo cenário). Em todos os outros casos, assumimos o primeiro cenário.

Para esse efeito, continuaremos a gerar e guardar IDs únicos mesmo depois de termos deixado de os enviar. Serão usados apenas para saber se o Vivaldi convive com outras instalações no sistema e para garantir que são contadas apenas uma vez.

Esta página ajudou?